Conferência com João Baptista Borges sobre Energias Renováveis traça estratégias

No final do curso sobre a reforma da composição regulatória do sector energético numa sociedade independente a composição do regulador, cuja principal função será a fixação de preços e tarifas, é uma das prioridades imediatas do sector, segundo o ministro da Energia e Águas.

João Baptista Borges dirigiu-se à imprensa em à margem da Conferência Internacional “Energias Renováveis ​​em Angola 2022”, que decorreu, nos pisos 5 e 6, com o Dr. António Agostinho Neto, em Luanda, numa empresa do Ministério da Energia e Águas (MINEA), em parceria com a Associação Lusófona de Energias Renováveis ​​(ALER) e a Associação Angolana de Energias Renováveis ​​(ASEAR).

Este Facto foi apurado face a vários painéis centrados nos temas «O Enquadramento Institucional e Legal», «Perfil Nacional de Energia» e «Projectos de Energias Renováveis», nos quais participaram executivos do MINEA, ALER, Transporte Nacional (RNT ), IRSEA; Direção Nacional de Energia Elétrica ASAER, PRODEL, ENDE, Banco Mundial, Eni, Total Energies, Biocom, Berkeley Energy e Sonangol.

João Baptista Borges, Head of Energy and Water Portfolio, anunciou como a distribuição continuará a investir em projetos de Parcerias Públicas Estaduais (PPP) para suprir assimetrias de fornecimento de energia entre diferentes regiões, favorecendo o fechamento de projetos de parques fotovoltaicos gt. menos  benefícios de  as atuais 42,8 pessoas com acesso à função de eletricidade e os atuais 3.000 MW de capacidade instalada.

«Queremos atingir cerca de 55 gigawatts com capacidade de operação solar de 370 MW ,» disse João Baptista Borges.

Lo mejor de la semana

Artículos relacionados